Casa residencial à venda, Condomínio Campos do Conde II, Paulínia - CA2782.

Condomínio Campos Do Conde II, Paulínia - SP
Quartos : 3
Área útil : 210m²
Vagas : 4
Banheiros : 4
Suítes : 3
Salas : 2
Ano de construção : 2010
Código: ca2782
Preço
R$ 837.000
R$ 3.986/m²

Casa residencial à venda, Condomínio Campos do Conde II, Paulínia - CA2782.

Ficha Tecnica: Área Total - 307.866,18; Área Urbanizada 153.974 m²; Área Verde: 31.384 m²; Sistema de Lazer - 19.468,71; Tamanho Médio dos Lotes: 300 m²; Quantidade de lotes: 504 unds. Lazer: Sede social; Quadra de tênis; Playground; Quadra poliesportiva; Campo de futebol; Quiosque com churrasqueiras. Casas à venda com 3 a 4 dormitórios.

Outros valores

Condomínio
IPTU
R$ 400
R$ 0 / mês

Características da unidade

Closet
Despensa
Quintal

Características do condomínio

Não há informações sobre as características das áreas comuns deste edifício.

Fale com o anunciante

Imobiliária Jazz.com

Portfólio
CRECI: 031.267 - J
Por que Jazz.com? Antes de iniciar a leitura dessa breve descrição, convido você a fazer a reflexão: Por que Jazz.com? O Jazz em um parágrafo Para começarmos a falar da Imobiliária, é fundamental dar uma pincelada na história da nossa inspiração. O Jazz surgiu no final do século XIX, utilizando como matéria prima inicial o ritmo trazido pelos escravos africanos. A batida rústica, ao encontrar a grande diversidade cultural presente em Nova Orleans, incorporou nuances europeus e até asiáticos em sua composição. E, na ocasião, ao final da primeira guerra mundial, a grande quantidade de instrumentos de metais sendo descartados criou a situação perfeita para a popularização do ritmo. Durante os anos 20, com o advento dos discos, o Jazz ganhou braços para atingir outros continentes e classes sociais. Ele deixa então de ser um ritmo da periferia de Nova Orleans, para se tornar um ritmo universal, presente em toda cultura ocidental. Ok, e o que Imobiliária pode ter a ver com o Jazz? Acreditamos que tudo pode receber um olhar diferenciado. Crises se transformam em oportunidades, e dificuldades em aprendizados. Da mesma forma que o Jazz, ao utilizar os instrumentos descartados pelo exército, utilizou o que estava a vista de todos. Onde outros viam sucata, havia ouro. O importante sempre é haver harmonia! E para isso acontecer, não precisamos de grandes estrelas; e sim de uma excelente banda, que toque em conjunto, cada um melhor na sua especialidade. De nada adianta se ter o melhor pianista do mundo se o mesmo não cria harmonia com o grupo. No Jazz não existe playback, pois toda música é composta por improvisos. Improvisos em harmonia. Cada músico é também um compositor, que segue sua sabedoria anteriormente adquirida, unindo-se com a nova situação que a música lhe contempla. Compor vem de dar forma, definir os nuances. E exatamente por isso, demos a liberdade de nos chamar de Compositores de Histórias de Vida.
Publicidade
Entrar em contato